Como dar banho a um gato em 12 passos (e porquê)

como dar banho a um gato

Sim, os gatos são animais extremamente asseados e muito raramente estão sujos. A sua língua áspera e a flexibilidade extraterrestre são mais do que suficientes para se manterem limpos diariamente.

Ainda assim, há situações em que um banho a sério pode mesmo ser necessário, como:

  • Pêlo demasiado sujo para lamber até ficar limpo;
  • Necessidade de usar produtos veterinários, como champô desparasitante;
  • Impossibilidade de o gato se assear sozinho, por qualquer outro problema físico ou psicológico.

O grande probema é que os gatos, a menos que habituados desde pequenos, odeiam banhos e ficam demasiado stressados com a experiência — e gato stressado equivale a garras na cara. Assim, é importante saber como dar banho a um gato da forma menos stressante possível para o bicho.

Como dar banho a um gato?

  1. Perceber se é possível molhar apenas as partes sujas, em vez de dar banho completo, para reduzir o stress;
  2. Reunir todo o material necessário — banheira, champô próprio, amaciador próprio, escova, toalha — para evitar parar a meio;
  3. Colocar um tapete anti-derrapante para o gato ficar estável e cravar as garras;
  4. Pôr água quente na banheira. Evitar água muito quente e demasiada quantidade de água (quanta mais água, mais stress para a bichana!);
  5. Introduzir o gato na banheira calmamente. Biscoitos/snacks podem ajudar a acalmar antes de entrar;
  6. Deixar o gato ambientar-se à água e à banheira;
  7. Molhar as partes do corpo necessárias, evitar deitar água na cabeça e, em especial, nas orelhas;
  8. Ensaboar o pêlo com produtos próprios. Pode ser mais fácil fazer este passo fora de água;
  9. Retirar completamente o champô/amaciador, evitando sempre molhar a cabeça e tapando os olhos e as orelhas;
  10. Secar com a toalha (evitar o secador!) e o banho está dado!
  11. Dar-lhe uma guloseima para tornar o banho numa experiência positiva.
  12. Separar o gato que tomou banho dos outros para evitar que virem gladiadores (por alteração dos odores habituais) e esfregar todos com a toalha para se habituarem.

Se todos os passos foram cumpridos e não estiveres a jorrar sangue dos braços e da cara, o banho foi bem sucedido. Caso não tenha resultado, o melhor é consultar um veterinário para perceber como o melhorar o processo.

Bons banhos!