Ansiedade nos gatos: causas, sintomas e soluções

Ansiedade nos gatos

Os gatos são animais assustadiços. Fogem de qualquer barulho mais alto, saltam com qualquer movimento inesperado, têm medo de tomar banho e qualquer coisa lhes põe o pêlo eriçado com o medo. Mas quando é que este tipo de reações deixa de ser “normal”? O que fazer quando o nosso gato sofre de stress excessivo? Neste artigo, tens todas as repostas relativas à ansiedade nos gatos.

O que é a ansiedade nos gatos?

A antecipação do perigo pode levar os gatos a reagir de forma exagerada e a demonstrar comportamentos típicos de medo, na ausência de qualquer perigo real. A ansiedade nos gatos é um problema relativamente comum e manifesta-se nos mais variados comportamentos, que muitas vezes podem passar despercebidos.

Quais são os sintomas?

O sintoma mais frequente de ansiedade nos gatos é comportamento destrutivo — como, por exemplo, arranhar móveis, destruir cobertores e cortinas, roer cabos, etc. —, ou compulsivo, como coçar ou lamber demasiado, podendo chegar ao ponto em que arrancam o próprio pêlo (alopecia psicogénica).

Mas os sintomas não se ficam por aqui. Eis os sinais de fácil identificação:

  • Redução da atividade normal;
  • Não usar a caixa de areia;
  • Agressividade;
  • Aumento de vocalização;
  • Letargia;
  • Diarreia e/ou vómitos;
  • Mudanças de apetite ou perda de peso;
  • Feridas causadas por excesso de lambidelas.

Um veterinário, ou mesmo um dono mais atento, pode identificar alguns sintomas menos óbvios:

  • Evitar o contacto visual;
  • Pupilas mais dilatadas;
  • Aumento da frequência respiratória;
  • Orelhas mais baixas e para os lados;
  • Cauda posicionada mais próxima ao corpo.

Nota: Alguns dos sintomas de ansiedade podem manifestar-se apenas na presença do veterinário. Isto pode significar que o Sr. Doutor é, precisamente, o gatilho de ansiedade.

Fonte: Catster

Quais são as causas da ansiedade nos gatos?

As causas deste tipo de comportamentos podem ser várias, pequenas ou grandes, recentes ou históricas. Seguem algumas das causas mais frequentes:

  • Mudança de casa;
  • Alteração de rotinas (associada à ansiedade por separação, de que falamos mais abaixo);
  • Introdução de novas pessoas ou novos gatos;
  • Dor ou outro problema físico;
  • Exposição a algum tipo de tóxico;
  • Doenças infeciosas que afetam o sistema nervoso;
  • Experiências traumáticas passadas, como maus tratos ou abandono;
  • Envelhecimento, que pode levar a condições psiquiátricas como demência.

O que é a ansiedade por separação?

A ansiedade por separação manifesta-se quando o gato demonstra sinais de ansiedade na ausência dos donos ou outros animais com que se dê bem. Os gatos que sofrem deste tipo de ansiedade tendem a seguir os donos pela casa e exigir-lhes demasiada atenção, ou, quando antecipam a saída dos donos, podem começar a esconder-se ou a miar de descontentamento.

quando estão sozinhos, podem ter comportamentos destrutivos. Se encontras frequentemente mobiliário arranhado ou objetos destruídos quando chegas a casa, é possível que o teu bichano esteja a sofrer ansiedade por separação.

Como lidar com este problema?

A melhor coisa a fazer se detetares os sinais de ansiedade é contactar um veterinário — na verdade, os sintomas podem mascarar outras condições, que o veterinário deve descartar antes de propor um plano de ação.

Geralmente, a solução para a ansiedade nos gatos passa pela identificação e eliminação dos gatilhos (ou seja, fazer alguma mudança no espaço ou na rotina) e a criação de um ambiente mais agradável e/ou relaxante para o gato.

Os arranhadores, acesso a janelas e vários tipos de brinquedos para gato podem ajudar a distraír e reduzir os sintomas de ansiedade. A erva-gateira pode também ser uma boa opção (seja em brinquedos, em planta viva, ou em spray) para deixar os bichos mais relaxados.

No entanto, é crucial tentar eliminar a fonte do problema e não focar apenas na mitigação dos sintomas.